ELSA MANGUE: Cantora luta por melhores dias

Notícias 18 de Julho de 2007

FOMOS visitá-la no último sábado, no Hospital Geral da Machava, no município da Matola. Está melhor em relação ao estado em que se encontrava aquando da sua entrada naquela unidade hospitalar. Chegou a estar ligada a tubos auxiliares para se manter, e hoje esses tubos estão desligados. Elsa já não precisa deles.

Não chagamos a entabular uma conversa por aí além com a autora de “Xindzekwana”, pois, apesar de estar a registar melhorias, Elsa Mangue ainda está enfraquecida, mas forte por dentro. Ela manifesta dentro de si uma força de espírito que lhe poderá ajudar bastante a ultrapassar esta fase crítica em que se encontra.

Fazer perguntas à Elsa Mangue, para saber o que se passa dentro de si e ao seu redor, o que pensa do seu estado e da música, podia ser, até certo ponto, cruel, porque o que ela precisa, neste momento, mais do que nunca, é de repouso. Ela já começa a alimentar-se, embora isso não seja fácil, por causa da agressividade dos medicamentos que toma.

Elsa está ciente de que só poderá voltar ao convívio dos seus se seguir estas prescrições todas e está disposta a seguir. Tem consciência dos cuidados que precisa o seu estado de saúde.

Tem recebido visitas esporádicas dos seus companheiros da área musical, que a vão reconfortar com palavras, oferecendo-lhe também uma fruta, um sumo, etc. Dando-lhe um pedaço do seu coração, para fazê-la ver que não está sozinha neste sofrimento.

Mas também Elsa Mangue está zangada com algumas pessoas que, aproveitando-se do seu estado, dirigem-se a instituições com o intuito de pedir dinheiro para ajudar a cantora. Essas acções, de acordo com Elvira Viegas, que tem sido um dos elementos que têm estado muito por perto no acompanhamento da situação da Elsa Mangue, têm que ser feitas de forma organizada, em grupo, e não individualmente. Outro artista que se tem interessado pelo desenvolvimento da doença da cantora é Stewart Sukuma, o qual, sempre que lhe é possível, aproxima-se da enferma. São estes dois músicos que têm estado mais activamente junto de Elsa, com muito respeito que se dispensa aos outros que já foram dar um abraço à cantora. E a família, sempre atenta.

De acordo com Elvira Viegas, o que a Elsa Mangue precisa agora é de se alimentar bem, mas nem sempre é possível devido às limitações financeiras, apelando, por conseguinte, à quem possa no sentido de ajudar à esta que, mais do que nunca, precisa duma “mão caridosa”.

Elsa já foi vencedora das edições do Ngoma-Moçambique e Top-Feminino. Ela cimentou a sua grandeza na música moçambicanas nos anos 1980, à custa de canções inspiradas no seu país. E, depois de um tempo interminável em que se fez arredia dos palcos, eis que agora derrapa acometida por uma doença contra a qual ela luta.

Esta coqueluche da música moçambicana luta contra a doença tendo no horizonte o desejo de voltar a um palco e entoar as canções com que conquistou o coração dos moçambicanos. Numa recente entrevista ao “Notícias”, quando ela ainda estava de cama em casa, há pouco mais de dois meses, demonstrava muita força de vontade. “Nada me vai fazer desanimar de lutar pela minha vida, quero estar melhor e por isso sigo tudo o que me dizem os médicos. Tenho que tomar todos os medicamentos que me dão e tentar alimentar-me devidamente”, afirmara, numa altura em que seguia tratamento ambulatório no Hospital Central de Maputo (HCM).

Nessa mesma entrevista, a cantora manifestava o desejo de voltar aos palcos, porque “cantar é a coisa que mais gostei nesta vida”. Resta-lhe seguir os conselhos médicos e rezar para que saia o mais rapidamente possível do leito do hospital, de maneira a iniciar outras fases para que a sua recuperação seja efectiva e os seus sonhos se tornem realidade.




Fonte

Seu Comentário